segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Urgente

Oi pessoa,

Escrevo algo que você nunca vai ler, isso me alivia.

Primeiro um contexto, tenho um problema, na verdade vários, eu diria. Mas esse, em especifico, me fez escrever pra você. Sou uma construção de alguém, não sou alguém. Me pergunto isso é possível? Isso é um problema? Bem, não é o fato em si, mas é o que eu construí como a pessoa que sou hoje.

Me construí para ser desapegada, uma conquistadora sem esdruxulo, uma menina que tem o coração na mão. Mas sou pisciana, mesmo que não percebam e como você bem sabe, e não sou assim, no fundo sei que isso sequer combina comigo. Sou trouxa mesmo, como dizem tanto no twitter. Nesse momento deveria estar escrevendo um artigo para alguma disciplina chata, mas não posso me concentrar. Fico pensando em você, em nós. Não ache que de maneira romântica, você mais que ninguém sabe que isso não combina comigo, me pergunto por que você me ignora? Você estaria me usando? Por que quero que aquela tarde volte a acontecer?

Sabe, eu acho que no fundo tenho essas repostas: Você me ignora por que não temos nada, por que combinamos assim,de certa forma pedi assim. Você me usa sim, por que eu te uso, por que eu concordei com isso, com todas as vírgulas. Aí que mora meu problema, como pode alguém desapegado, se apegar em quem menos te dá valor, a quem sabe que nada vai acontecer?

Acho que quero reviver aquela tarde pela sensação que é, ela foi um segredo, que só nós dois compartilhamos e mais ninguém. É a vontade de ter algo bem escondido, só nosso, a sensação de algo proibido.

São muitas perguntas, tenho plena noção disso, mas a mais importante é se poderia ter sido diferente entre nós, não fosse a ordem dos acontecimentos. Mas não poderia, o que nos mantem juntos é o que criamos agora, o proibido. Fora isso somos só pessoas que vivem perto, amigos por fata de opção.

Você poderia me dizer se quando olha pra mim enxerga apenas um passatempo?

                                                               

Nenhum comentário:

Postar um comentário