Menu

sexta-feira, 3 de junho de 2016

||||||||||||||||||| meh


O céu estava rosa, assim como sua face. As mãos, enroscadas umas nas outras, tentavam se esconder do frio. O sol, dourado como seus cabelos, não aparecera ainda naquela manhã de domingo. A areia cobria seus pés e o mar gritava de prazer.

Tinha desistido de tudo. Desistiu de ter amigos, desistiu de confiar em alguém, desistiu de tentar de se encaixar nos grupos, desistiu de tentar se convencer de que era feliz,de que era normal, de que era uma fase e que aquele era o curso natural da vida. Desistiu de sentir medo, desistiu de não poder ser honesta consigo mesma.
Desistiu de dar tudo de si e não receber nada em troca.

Rendeu-se ao tempo e ao ócio, deixou para trás seus preceitos, sua determinação, apagou as chamas que a mantinham em movimento. Abandonou princípios, desejos e sonhos.
Entregou suas armas a todos aqueles que a contrariavam, provou certo aqueles que tanto a julgavam, no fim das contas.
Desertou sua alma, deixou livre para quem quisesse ocupar aquele estranho vazio.

Desistiu, simplesmente desistiu.

Mas antes disso, o mundo desistiu dela.

Nenhum comentário:

Postar um comentário