sábado, 9 de janeiro de 2016

Aristóteles e Dante descobrem os segredos do Universo


Ganhei esse livro em setembro, e depois de uma crise de leitura resolvi dar uma chance. É o livro da vida, o livro que eu recomendo pra todo mundo, o livro que eu poderia ler e reler tantas vezes que não me cansaria. É o amor em palavras.

Li resenhas e opiniões, que se dividiam em história confusa e sem nexo, e outras simplesmente que nem eu, nada menos do que extasiada, querendo tatuar o livro na testa.

A história gira em torno de dois garotos, Dante e Aristóteles -tcharam-, que não são quase nada parecidos, se conhecem ao acaso e se tornam amigos. É um livro jovem que não exige técnicas militares, camicazes, terroristas para ser entendido. Trata da homossexualidade, da vida normal da adolescência, das descobertas, decepções, acidentes, e, novamente, amor.

Chorei e chorei bastante. Triste por não ter alguém para conversar sobre? Sim, tanto que fui procurar no skoob críticas e me deparei com vários seres não entendendo nada e se decepcionando, e me deu vontade de ler o livro de novo para ver se o problema era comigo ou com o universo. Mas entendo que essa ação deve ser deixada para mais tarde, quando meu emocional estiver recuperado novamente.

Deixo aqui minhas memórias e anotações para que no futuro eu abra aquelas páginas e me desidrate novamente.

Até mais,
Aline


Nenhum comentário:

Postar um comentário