Menu

quinta-feira, 2 de maio de 2013

Resenha: 16 Luas (dezesseis luas)



Sinopse :
Ethan é um garoto normal de uma pequena cidade do sul dos Estados Unidos e totalmente atormentado por sonhos, ou melhor, pesadelos com uma garota que ele nunca conheceu. Até que ela aparece... Lena Duchannes é uma adolescente que luta para esconder seus poderes e uma maldição que assombra sua família há gerações. Mais que um romance entre eles, há um segredo decisivo que pode vir à tona. 
Resenha:
 Quando olhei a capa logo pensei "Esse livro deve ser uma cópia de crepúsculo, com bruxos", mas me enganei, pelo menos com a maior parte do livro. 
O narrador principal é Ethan, sim: um menino, o que já uma revolução para esse tipo de livro, é nele que gira a história toda. Começamos logo percebendo que ele é o típico garoto de cidade de interior, infeliz com tudo, ele até traçou uma rota com uma viagem pelos EUA e guarda os panfletos de todas as universidades. Ethan perdeu a mãe em um acidente, e vive com o pai, que não sai do escritório e Amma, a governanta que cuida da casa desde sempre. Nesse núcleo temos Link, seu melhor amigo e musicista, com uma mãe louca que acha que Harry Potter muda a cabeça das crianças (¬¬). E vemos as três tias gagas de Ethan, que sabem de muita coisa, e são hilárias. Mas a vida dele começa a mudar quando ele começa a ter pesadelos com uma menina misteriosa, que nunca a viu e nem sabe quem ela é, mas já está apaixonado .Essa garota é Lena Duchannes, uma menina misteriosa que aparece na pacata cidade de Gatlin, onde não é tão bem recebida. E então a história começa a acontecer e Ethan descobre os segredos que Gatlin tem a esconder, além disso descobrimos um segredo sobre Lena que pode impedir o romance dos dois, além de conhecer a a excêntrica família da garota, dentre eles seu tio, que é o isolado da cidade, e suas primas fofas, que poderiam ter aparecido mais. Um problema do livro, além da capa ser do filme(onde eu comprei só tinha essa), é a evidente divisão na escrita das autoras pois num momento é história é rápida e interessante e no outro é um tanto massante. Mas no geral a história é bem contada e explorada, Kami Garcia e Margaret Stohl conseguiram fazer o clichê não ser tão clichê assim, e tem uma magia, que não sei explicar, que consegue nos transportar pra dentro da história.
 Era isso que tinha para contar hoje, estou lendo o segundo da trilogia, dezessete luas, mas a sinopse não está muito boa e meu desejo de ler vem dela. E espero que vocês lembrem que existe alguém aqui além da Aline. 
Beijinhos, Bruna

2 comentários:

  1. Bruna parabéns pela resenha ficou ótima, estou louca para ler esse livro. Em julho no meu aniversario pretendo pedir os três de uma vez e ler seguido. Confesso que nao acho as capas dessa serie muito bonitas, mas a historia chama minha atenção!!!!

    Sucesso nas próximas leituras!!!!

    Aline - Leituras, vida e paixões!!!!

    ResponderExcluir
  2. Eu já estou com o segundo e dessa vez com a capa do livro mesmo, muito melhores
    @Aline Coelho

    ResponderExcluir